Doramas Entretenimento K-Drama
/

Misty – K-Drama

Terminaram vários dramas esses dias e por mais que eu queira comentar sobre todos, vim correndo escrever sobre um drama que me segurou do começo ao fim. E eu sei que eu já falei num post recente que aquele drama era obra de arte, porque realmente Mother é, mas Misty também é uma obra de arte. E eu estou muito feliz com isso, gosto assim, dramas surtantes, por mais pesados e obscuros que sejam. Eu gosto é de emoção, de roteiro bem escrito, de atuações apaixonadas.
Misty trata assuntos não muito confortáveis como vingança, adultério e assassinato. É um drama adulto, com personagens maduros e uma história diferente dos padrões. A protagonista é marcante por ser imperfeita mas poderosa.  Uma história de suspense inteligente que nos mantém presos do começo ao fim. Simplesmente incrível! 💛

Misty
미스티
Episódios:16 | Emissora: JTBC | Ano: 2018

Sinopse: Go Hye Ran é uma popular âncora de um telejornal no horário nobre. Um dia, ela se torna suspeita em um caso de assassinato. Seu marido, Kang Tae Wook, trabalhou como promotor no passado e agora é um defensor público. O casamento deles não anda bem, mas Kang Tae Wook decide defender a esposa.

Talvez lendo a sinopse, não se pode imaginar o quanto esse drama é incrível. Misty traz um mix de suspense inteligente, reviravoltas complexas e muito talento na atuação e produção. Um drama que apesar de ter episódios longos, às vezes com bem mais que uma hora de episódio, ainda nos faz ficar presos à trama do começo ao fim. Esperando ansiosamente por mais, mais de uma protagonista poderosa, mais de um marido extremamente bom, mais de um relacionamento complicado cheio de altos e baixos, mais dos personagens secundários intrigantes, mais sobre o suspense, mais dessa obra de arte.
A atmosfera é um tanto obscura, tratando assuntos não muito confortáveis como vingança, adultério, casamento e assassinato. É um drama adulto, com personagens maduros e uma história diferente dos padrões. Por mais que a JTBC tenha classificado o drama para maiores de 19 anos, na minha opinião, ele não precisava ter essa classificação, tem muitas coisas piores rodando por aí na televisão aberta brasileira.
O roteiro é tão bem escrito que me prendeu totalmente, não queria perder uma fala sequer, os diálogos são excelentes. A narrativa tem uma ótima construção, mantendo o suspense e aos poucos revelando mais sobre os personagens, que inclusive tem um ótimo desenvolvimento. Terminei o drama chocada por descobrir coisas que no começo jamais imaginei sobre eles, além disso, eles são personagens imperfeitos. Todos tem suas ambições e objetivos pessoais e não são os mocinhos e mocinhas dos dramas convencionais.

Vamos começar pela maravilhosa Go Hye Ran (Kim Nam Joo), uma talentosa âncora do jornal das 21h. Go Hye Ran era inacreditável, como diziam alguns personagens, uma mulher poderosa que começou do nada e agora conquistou o espaço que sempre sonhou. Porém devido a sua idade, ela estava para ser retirada do jornal. Go Hye Ran nunca foi boazinha, desde nova tinha convicções e princípios que ninguém era capaz de mudar, e ela só se fortaleceu com o tempo. Go Hye Ran é o tipo de protagonista forte e muito poderosa, aquela heroína imperfeita que eu sempre desejo ver nas histórias, que não depende das pessoas para realizar o que quer. Ela vai atrás daquilo que sempre sonhou e tudo gera consequências e cicatrizes que a machucam sim, mas não a impedem de seguir em frente. Não sei se estou conseguindo com palavras, descrever o quanto essa personagem é especial e marcante. Suas opiniões são tão bem formadas que é muito difícil ela se abalar com alguma coisa, até mesmo quando é acusada de assassinato, Go Hye Ran trata o assunto como um mero inconveniente que surgiu em seu caminho, assim como muitos outros assuntos.

Kang Tae Wook
(Ji Jin Hee) é o marido de Go Hye Ran, o tipo de homem perfeito que nasceu em berço de ouro, sempre teve tudo o que queria, é rico, bonito, inteligente e preza muito pela integridade. Ele era um promotor que decidiu ser advogado a fim de ajudar pessoas necessitadas. Tae Wook é um homem extremamente apaixonado pela esposa, um marido fiel e tão bom, mas tão bom que as vezes dava dó do tanto que ele sofria. Afinal seu relacionamento com Hye Ran não estava bem há uns longos anos. Tae Wook se apaixonou pela Hye Ran de tal forma, que mesmo sabendo que o que ela sentia por ele não era no mesmo nível que seus sentimentos, ainda assim ele era dedicado prezando sempre pela imagem dela.
Antes de eu comentar sobre os outros personagens, já quero fazer menção honrosa aos atores Ji Jin Hee e Kim Nam  Joo que brilharam nesse drama. Embora os demais tenham sido ótimos, sério, todas as atuações desse drama são excelentes, nossos protagonistas foram excepcionais. Drama acabou e só de voltar cenas, pegar fotos pra escrever a resenha, vejo os olhos deles e já sinto tudo de novo. Uma coisa sem igual.

Diante das injustiças que Go Hye Ran está passando na emissora, ela resolve provar o quanto ela merece continuar na posição de âncora, para isso ela precisa entrevistar o famoso jogador de golf Kevin Lee (Go Joon) que acabou de retornar à Coreia. Mas para abalar ainda mais a situação, Kevin Lee é um ex-namorado de Hye Ran, por quem ela tinha uma paixão incontrolável. Ele casou com Seo Eun Joo (Jeon Hye Jin), uma colega de classe da época de escola de Hye Ran e agora Kevin Lee é um tremendo idiota (perdão, por essa palavra sobre ele, mas é verdade) que a coloca numa armadilha que pode destruir sua posição e seu casamento. Prefiro não dizer mais nada sobre Kevin Lee porque meu ódio pelo personagem é gigantesco. Mas sobre Eun Joo, ela foi só mais uma coitada pra mim. O tipo de pessoa que me irrita já que vê o monte de coisas erradas que o marido faz e ainda assim o acha o maior santo do universo. Tinha vontade de entrar no drama e dar uns chacoalhões nela. De qualquer forma, a personagem é realista também já vi muitas pessoas assim na vida real, infelizmente.

Misteriosamente Kevin Lee morre num acidente de carro, mas todas as suspeitas levam o detetive Kang (Ahn Nae Sang) a acusar Go Hye Ran como principal suspeita do assassinato de Kevin Lee. E é quando Kang Tae Wook resolve defender a esposa nesse caso e ambos lutam juntos para livrá-la da culpa e encontrar o verdadeiro culpado. O detetive Kang é tão persistente em acusar Go Hye Ran que chega a dar raiva. Embora o drama nos deixe curiosos em relação ao caso, há muitas pontas soltas, muitos suspeitos, não dá pra confiar em ninguém mas vê-lo tão dedicado a acusar ela chega a dar raiva. Um homem suspeito também aparece, ele acaba de sair da prisão e está relacionado ao passado de Go Hye Ran, não posso dizer mais sobre ele por causa de spoilers. Mas até o moço misterioso tem uma história importante. Adorei como tudo foi bem encaixado no drama e nada acontece sem propósito.

O relacionamento de Kang Tae Wook e Go Hye Ran é complicadíssimo. Diversas coisas os fizeram se aproximar e se afastar um do outro ao longos dos anos de casados. Enquanto Go Hye Ran é determinada, forte e cheia de ambições, Tae Wook é extremamente dedicado à esposa. Cada um tem uma visão diferente do que é amor e relacionamento a dois. E um dos pontos mais interessantes da história de Misty é acompanhar o desenvolvimento do relacionamento do casal, como eles lidam com as dificuldades e o que os mantém juntos. Impossível não sentir as emoções deles, não sentir o que eles sentiam, a dor, o desespero, o ciúmes, a saudade de tempos que não voltam. Emoções às vezes não tão bonitas, mas reais.

Perdi as contas de quantas vezes eu pensei “agora vai”, desejando que o casal ficasse junto porque o ship era grande. Mas o drama me enganava, a felicidade deles durava pouco, algo que os dois tinham culpa, mas era tão difícil assumir. Os problemas que os cercavam não eram bobos como em alguns dramas que o casal tem tudo pra ficar junto mas ficam com frescura, aqui os sentimentos eram profundos, cheios de mágoa e feridas. A situação já estava complicada o bastante na vida fora do casamento e manter um relacionamento de aparências às vezes parecia mais sensato. Apesar de tudo que estou falando sobre eles aqui, ainda não é suficiente para descrever a complexabilidade do casal e tudo que os envolve, e não é suficiente para sentir a empatia que só é possível assistindo ao drama. A verdade é que Kang Tae Wook e Go Hye Ran combinavam mais do que eles imaginavam e eram um casalzão! ❤💔

Agora quero mencionar alguns personagens secundários que fazem o drama ser ainda melhor. Começando pela Han Ji Won (Jin Ki Joo) que a principio nos faz duvidar de todas as suas intenções, por ela ser a principal responsável por querer tirar Go Hye Ran da posição de âncora. Mas gostei tanto de ver a evolução e o crescimento dessa personagem, tanto como pessoa como profissional. A melhor parte foi Go Hye Ran ter dado uma chance à ela e ambas criarem uma parceria que dava até orgulho de ver. Duas mulheres que independente da idade precisavam lutar juntas. Amei Go Hye Ran ensinando Ji Won, sobre como ser uma jornalista e como ser uma mulher poderosa na vida.

“Uma vez que eu deixei eles pisarem em mim, eles continuaram pisando de novo e de novo. Eu acho que ficou fácil pisar em mim pela segunda vez porque eu permiti isso. Então Ji Won, não importa o que aconteça, nunca deixe que eles pisem em você”. – Go Hye Ran


Kwak Ki Seok
(Koo Ja Sung) era um dos funcionários do jornal, novinho mas muito intelgente e um parceiro leal com quem Go Hye Ran poderia sempre contar. Adorei o personagem. Jang Gyu Seok (Lee KyoungYoung) era o chefe da Go Hye Ran, uma pessoa que eu ficava com um pézinho atrás mas ao mesmo tempo tinha momentos que eu o aplaudia por ser um profissional e amigo duro, porém sincero.
Outro ponto interessante do drama é que mostra o cenário do jornalismo abordando a veracidade das notícias, o que é ou não conveniente e como tudo pode ser manipulado facilmente. Gostei de ver Go Hye Ran representando uma profissional justa, que luta constantemente contra a corrupção, discriminação e calúnias.
Por fim, talvez vocês tenham lido algum comentário negativo sobre o final do drama, mas a verdade é que o desfecho é condizente com toda a história, é realista e dependendo do ponto de vista um tanto cruel e desconfortável. É daqueles que eu gosto, diferente que choca a primeira vista mas depois de analisá-lo se torna ainda melhor. Obrigada Misty, por ser tão maravilhoso.  

E vocês repararam nas imagens do post o quanto as cores e a fotografia desse drama são incríveis? Eu ficava encantada até com a iluminação usada, olha como os rostos dos atores tem um brilho especial. Foi tudo muito bem produzido e meus olhos enchiam de alegria vendo cenas às vezes que pareciam tiradas de um filme. JTBC arrasou em tudo. O figurino estava lindo demais, Go Hye Ran tinha umas roupas tão maravilhosas que combinavam demais com sua personalidade. Aliás, figurino de todo mundo. Até da Eun Joo e da Ji Won eu ficava babando nas roupas. Os casacos e os ternos do Tae Wook então… 💖 Mas calma, eu nem falei sobre a trilha sonora ainda, que obra de arte meus amigos, que obra de arte! Eu fico ouvindo a OST especial que foi lançada com os instrumentais e são tão maravilhosos quanto as músicas. Infelizmente eu não achei a OST no Spotify, mas tem completa aqui nesse vídeo do Youtube (espero que não removam). Tem até uma versão muito bonita de Knockin’ On Heaven’s Door (orginal do Bob Dylan) que é uma das minhas favoritas.
Esse vídeo é bem legal com cenas dos dois primeiros episódios e a trilha instrumental.

Onde Assistir?

Tem Misty legendado no Kingdom Fansub, Drama Fansubs, DramaFever.
 
E aí, o que vocês acharam desse drama?
Beijos, Mari! 💕

Compartilhe ♥

10 comentários em “Misty – K-Drama

  1. É um drama que prende você, apesar de ter matado a charada sobre a morte do Kevin Lee, (quem o matou), Não gostei do final e ao mesmo tempo entendo o final, acho q não poderia ser de outra forma.

  2. Olá, Mari! Muito obrigada por recomendar esse drama! Acho que o ponto forte dele realmente foi o roteiro muito bem construído e a complexidade das personagens: não existe um vilão puramente “do mal” (apesar do Kevin Lee ter sido muito cretino rsrs) ou protagonistas super bonzinhos. Todos têm suas feridas e seus momentos de altos e baixos. Enfim, uma ótima história, com final coerente e aquelas reviravoltas que tanto gostamos…um prato cheio pra quem gosta de suspenses também.

  3. Oii Mari, a pergunta que não quer calar aqui, é como vou conseguir viver após o final deste drama?! estou ainda ouvindo Painful Love que toca ao final do último episódio, estou chocada, estarrecida, confusa, e sinceramente sinto raiva e alívio kk (como pode um drama marcar tanto assim?! é o que me questiono). Bom, vamos às considerações… Impecável história, enredo, fotografia, trilha, figurino, e personagens, eu me deslumbrei com a Hye Ran, sempre que ela aparecia sabia que não seria atoa, sabia exatamente como se portar, falar e nos fazer sofrer, pq quando ela caía, nossa como era doloroso, vê-la sofrer… Desde o início torcia muito por ela, independente dos erros que foram aparecendo, e as imperfeições que ela tinha, desconfiei por um momento que ela fosse a assassina, e logo depois, comecei a desconfiar de todos os outros menos ela; E cega por ela, também não vi quem estava ao lado dela e era um forte suspeito; Na verdade, se eu tivesse visto o drama e não tivesse me apegado emocionalmente a querer que o casal Hye Ran e Tae Wook fossem finalmente felizes, talvez eu teria enxergado mais profundamente e tivesse matado a charada logo de cara, afinal o broche e a resiliência do marido frente à tudo, tinha algo errado, mas não vi, juro, porque eu só queria uma chance para eles. É isso que frustra as vezes, e mesmo assim, amei tudo, estou sofrendo (quase uma dor de Moon Lovers) mas entendo, eles tinham tantas dores, tanto orgulho e tanto silêncio, que corrigir isso dentro de um segredo, só seria possível em uma ilusão, e percebi que o drama queria FATOS, e é um fato, que a dor será sentida, independente se outro assumir a culpa, independente se você tiver o direito depois de tudo de seguir em frente, a dor sempre existirá, e assim, pode não haver lugar para a felicidade… Desculpa a filosofia Mari, é só que estava precisando colocar pra fora, meus amigos já querem me bater pelo tanto que estou ”sofrendo” com essa história, seria demais querer um final feliz para eles?! (juro que a imaginei grávida em umas férias quentes ao lado do ”meudeusdocéu” que marido é esse que ela tem) mas a realidade de um drama, que envolve adultério, assassinato, manipulação, orgulho e ódio, não poderia ser terna e plena, no fim, todos foram machucados e permaneceriam machucados!! Bom, ainda chocada, posso fingir que ele não morreu no túnel?! Vou me iludir, que ele foi parar no hospital, e percebeu que foi uma chance de uma nova vida, Hye Ran desiste do programa, e eles se mudam da Coréia, e vão começar de novo, onde ninguém os conhece, ah, e os resquícios do passado, o pai do Tae Wook, resolve tudo, e eles vivem o resto de uma vida, tentando a cada dia amar pelos 7 anos e pela vida toda, incondicionalmente um apoiando o outro! FIM! Esse fim eu acredito e aceito, o outro eu só sei que é um fato kkkk. Obrigada pela resenha, vou ouvir a OST mais umas 10 vezes, e procurarei algo bem animado, tipo um desenho pra passar esse sentimento de vazio ”pós fim de drama”.. Desculpa o texto, e obrigada pelo espaço, pela sugestão e pela resenha, Beijos Mari, ahh ficarei bem kkkkk.

    1. “afinal o broche e a resiliência do marido frente à tudo, tinha algo errado, mas não vi, juro, porque eu só queria uma chance para eles.” SIMMM, penso da mesma forma, me ceguei por gostar tanto do casal. Não precisa pedir desculpa pela filosofia, hahaha amei, faz TOTAL SENTIDO. Seu final alternativo seria lindo. haha Ela grávida numas férias com ele puxa ♥ sonho meu!
      Espero que tenha ficado bem mesmo! Amo seus textos, venha sempre que quiser! Obrigada pelo comentário, beijos!

      1. EXATAMENTE hahaha… acaba que a gente não aceita os finais e acaba criando o nosso, na minha cabeça será assim e pronto!! Amo deixar meus textos aqui, porque sei que vc os lê e tenho esse espacinho pra desabafar e ‘desabar’ tbm kkkk!! Obrigada Mari, até a próxima!!

  4. Meeeu, sua resenha foi tão boa que me convenceu a assistir esse dorama; tudo parece ser muito maravilhoso e bem desenvolvido nessa então chamada obra de arte!
    Agora preciso que a faculdade me de esse tempo pra assistir kkkk mas fiquei muito interessado graças a forma que vc escreveu. Nem assisti mas deu pra perceber que é um doramão da porr*!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *