Doramas Entretenimento K-Drama
/

Life – K-Drama

Esses dias terminei mais um drama, e esse especialmente foi daqueles que não tive pressa nenhuma. Primeiro porque não queria que acabasse, segundo porque queria aproveitar cada partezinha dele. É daqueles dramas pesados em sentimentos, mas com diálogos excelentes e personagens que nos cativam a cada episódio. O drama é da mesma roteirista de Stranger e foi exibido também na Netflix.

Apesar de ser um drama médico, Life aborda política, negócios e questões sociais. Com personagens fortes, complexos e uma história bem escrita, o drama é sobre perspectivas conflitantes entre médicos e a administração de um hospital universitário.

Life
라이프
Episódios: 16
Emissora: JTBC
Ano: 2018

Sinopse: Uma série sobre o hospital como um terreno fértil para o uso indevido do poder. É um lugar de interesses e egos conflitantes. Os médicos têm o poder de salvar vidas, mas o conselho tem o poder de matar médicos. (Traduzido da JTBC)

O drama é da mesma roteirista de Stranger, um dramão incrível que ganhou até prêmios. Tanto Stranger como Life tem o mesmo estilo, então quem gostou de um, com certeza gostará de outro.

Life é um drama que poucos gostam, isso é fato. Inclusive, já aviso para aqueles que gostam de histórias muito agitadas e momentos felizes, esse não é o drama ideal. Life é repleto de longos diálogos e acontecimentos que caminham lentamente.

O drama aborda política, negócios e questões sociais no ambiente de um dos melhores hospitais universitários da Coreia. Então além de ser um drama com roteiro um pouco lento, ainda tem uma temática que pode não agradar muita gente. Eu confesso que só gosto do tema quando tem uma boa história e personagens que o envolvem de forma interessante a ponto de me prender mesmo, não é algo que eu aprecie por si só. E para minha surpresa e felicidade, Life me cativou.

Uma das melhores coisas desse drama é complexidade dos personagens. Trata-se de uma briga de interesses e perspectivas, mesmo que os objetivos sejam praticamente os mesmos. Diferente de muitas histórias, essa não tem um vilão ou herói, não é um drama médico sobre casos diários de pacientes do hospital. E não é fácil desvendar o verdadeiro caráter dos personagens. Eles podem ser gananciosos, ou parecerem “ruins”. São pessoas reais e imperfeitas lutando por aquilo que acreditam. E ao longo dos episódios, o drama vai nos mostrando que ao olhar através da perspectiva de cada um nem tudo parece tão errado e certo assim.

O primeiro episódio já nos joga no meio do caos, quando o diretor chefe do hospital morre e um momento obscuro os atinge com a chegada de um novo CEO para administrá-lo. De um lado temos os médicos e funcionários do hospital que prezam pela qualidade do atendimento aos pacientes e também seu conforto enquanto médicos necessários para a vida humana. Do outro, temos um administrador aparentemente frio que quer tirar o hospital do vermelho e gerar lucro, mas para isso precisa reposicionar e transferir alguns setores e médicos do hospital.

De primeiro momento, pode até parecer que temos “um vilão e um mocinho”, mas não demora alguns minutos para a trama nos confundir. De uma coisa eu tinha certeza, não botava a mão no fogo por ninguém naquele lugar. Nem mesmo por aqueles que pareciam “coitadinhos”. Ao longo dos episódios podemos acompanhar essa briga por quem tem mais poder para manter seus pontos como prioridade. Quem será que vai deixar o orgulho de lado e ceder primeiro? O roteiro é muito bem escrito e não há falhas ou algum buraco deixado para trás. E eu realmente adorei todos os conflitos e tensões. Me deixavam aflita e emocional. Até porque a história é tão real que às vezes até dói pensar nisso, sabe? São os bastidores de um hospital que nenhum drama médico expõe. Alias, é como os bastidores de qualquer empresa.

Qual o critério de julgamento pra dizer se uma pessoa é boa ou é má? E por que o meu ponto de vista é melhor que o do outro? O que de fato é moralidade? Essas são algumas questões que a trama deixa no ar.

Life tem muitos personagens, e mesmo assim consegue os desenvolver bem. Claro que alguns mais que outros, mas todos deixaram seu ponto de vista evidente, e na maioria são bem diferentes um do outro. Ah, não posso esquecer de falar que esse elenco é sensacional. Uma combinação de ótimos atores da dramalândia com personagens fortes. Incríveis demais. Vou mencionar alguns dos mais importantes.

Ye Jin Woo (Lee Dong Wook) é um médico da Emergência do hospital. Ele preza muito pelo bom atendimento e excelência dos profissionais com quem trabalha. Sendo mentorado pelo diretor chefe, que foi seu amigo pessoal, Jin Woo sempre seguiu seus ensinamentos e tem um coração bom. Com a morte do diretor chefe, Jin Woo entra em conflitos de pensamentos e começa a questionar o caráter daqueles que trabalham ao seu lado.

Jin Woo é um personagem muito complexo. Eu esperava dele alguém mais explosivo, mas acabou sendo um tanto sereno e racional. Ele pensava muito antes de tomar qualquer atitude ou mesmo falar. Isso me incomodou um pouco, mas é tão real, é tão eu. Talvez eu tenha me incomodado justamente por ter me identificado. Queria fazer tanta coisa, queria lutar com unhas e dentes por aquilo que eu acredito e aquele monte de sentimentos explodindo dentro de mim, mas ao mesmo tempo, não podia por inúmeras razões.

Mas um dos maiores problemas dele, assim como de outros personagens nesse drama, era justamente não ter comunicação. Sabe, muitos conflitos poderiam ter sido evitados se tivessem uma conversa sincera expondo objetivos, que muitas vezes eram comuns. Mas bom, esse é um defeito de várias histórias por aí. Hahah. Talvez não teriam histórias, sem isso?

Voltando a Life. Entendi todos os pontos do Ji Woo em relação ao hospital e aplaudi algumas atitudes, principalmente nas coletivas e reuniões médicas. Agora o que apreciei mesmo nesse personagem foi seu crescimento pessoal. Ele era uma pessoa bem diferente no começo do drama, praticamente uma bomba cheia de sentimentos confusos, mesmo parecendo calminho olhando por fora.

Além de todos os problemas no hospital, a vida pessoal dele era uma das coisas que deixava o drama mais interessante e emocional. Principalmente por toda culpa que carregava em relação ao irmão Ye Sun Woo (Lee Kyu Hyung), que com certeza é um dos melhores personagem do drama. Sun Woo sofreu um acidente quando criança e perdeu o movimento das pernas. E mesmo em meio a diversas dificuldades Sun Woo se formou médico e tem um ótimo emprego. Sem falar no seu relacionamento excelente com seu irmão. A história dos dois irmãos é tocante. Cheia de traumas, amor e companheirismo.

Simplesmente me apaixonei por seus personagens, e gostei muito do drama ter abordado um personagem cadeirante com tanta profundidade.

Jin Woo: Há pessoas que são inspiradas por você para perseguir seus sonhos. Você é a esperança deles.
Sun Woo: Por que devo ser a esperança deles? Eu apenas… vivo minha vida. Eu realmente não acho minha vida alegre ou feliz.
Jin Woo: É assim que todo mundo se sente sobre a vida. Não é só você.

 

Gu Seung Hyo (Cho Seung Woo) é o novo CEO do hospital. Ele foi enviado pela empresa que controla o hospital, ou seja, ele não é o chefe somente, mas também recebe ordens. Sr. Gu é aquele tipo de pessoa trabalha muito bem. Um administrador excelente que sempre trouxe orgulho pelo seu bom serviço e claro, que tudo que ele quer, é novamente trazer resultados para empresa. Discordava dos métodos, mas entendia plenamente os motivos.

Quanto mais Sr. Gu se envolve com os médicos, mais seus interesses são conflitantes. Todos queriam o bem do hospital, mas por meios diferentes. E ele, assim como os médicos, não pensa em ceder. É um personagem assim como os outros, muito complexo. Diversas vezes frio e sério, mas ao mesmo tempo uma pessoa cativante.

Quando eu digo cativante, não é por eu ser fanzona do ator, nem por ser fofinho quando sorri. Mas de fato, seu personagem me conquistou por ir mostrando alguns sentimentos que estavam ocultos. Sua evolução foi moderada, mas fica evidente mais ao final do drama. E não é que ele muda, ele não tem que mudar, não há nada de errado com Sr. Gu. Ele não é mau. Ele só está fazendo seu trabalho, assim como os outros. E muitas vezes, de forma muito mais honesta. E voltamos novamente no assunto das questões que o drama deixa no ar. “Qual o critério de julgamento pra dizer se uma pessoa é boa ou é má?”

Lee No Eul (Won Jin Ah) é uma médica pediatra e amiga há anos do Jin Woo e seu irmão. Assim como seus colegas está preocupada com o futuro do hospital e da sua carreira. Mas No Eul é o tipo de pessoa otimista e que não gosta muito de se envolver nas discussões até ter certeza do que está falando. Por isso, ela é uma das poucas que pensa em “verificar” se o novo CEO é mesmo esse “monstro”. Ela fica então entre seu melhor amigo e o novo CEO.

Antes de começar a assistir, tinha plena certeza que No Eul ia formar par com o Jin Woo. Mesmo sabendo que não seria drama de romance. Perdão, meu coração é muito dorameiro mesmo. Mas quando comecei a assistir vi que o relacionamento dos dois é só amizade, e fiquei ainda mais feliz. Pois é. Porque não esperava que fosse uma amizade verdadeira e bonita assim. É tão raro ter isso em drama. Geralmente a mocinha bonita fica com o mocinho bonito e pronto. Mas em Life, eles são só amigos mesmo, isso existe mesmo e é igualmente bonito.

Aqui eu já aviso que há romance no drama sim, mas bem moderado e discreto. Não espere por cenas de beijos e abraços, porque vai ter no máximo uns olhares, mas sempre lindas cenas com bons diálogos e muito sentimento envolvido. E você quer saber romance envolvendo que personagens? É spoiler, e é bonito saber enquanto assiste, então só vou contar na caixinha aqui, só lê quem quer.

SPOILER - Clique para ler

Os casais são esses da foto abaixo. Pelo menos o segundo é de fato um casal hahaha. Agora No Eul e Sr. Gu não posso dizer isso ao certo. Mas que os dois juntinhos eram lindos, ah, eram sim!

[collapse]

Ah, quero fazer menção honrosa à Dra. Oh (Moon So Ri) que é daquela por quem sinto amor e ódio. Mas tenho que reconhecer que sua personagem foi maravilhosa demais, principalmente nos últimos episódios. Que crescimento ein Dra. Oh! E também à Choi Seo Hyun (Choi Yu Hwa), uma repórter que aparece depois de alguns episódios, e só chega para acrescentar coisas boas nesse caos. E ao diretor chefe Lee Bo Hoon (Cheon Ho-Jin), de quem os personagens sentem tanta saudade e o qual eu também sentiria. Pelos flashbacks já deu pra amar.

Já elogiei tanta coisa nesse drama, mas ainda preciso dizer que a produção estava tão excelente como tudo que citei até agora. Nada como um drama bem feito, né?! Cinematografia muito boa, com ângulos que davam ainda mais vida pras cena. Acho importantíssimo esse cuidado, principalmente nesse tipo de drama que algumas cenas são só trocas de olhares cheias de tensão.

Gostaria de uma OST com músicas mais marcantes? Gostaria. Mas as que tem, estão ok. Tem a playlist da OST no Spotify. Minha favorita é Fine do Jung Seung Hwan.

Enfim, Life é um dramão. Para mim, um drama perfeitinho.
Enquanto algumas pessoas falaram horrores do drama principalmente pelo final, eu sou daquele time que sempre vai contra a maré. Eu amei o final e todo o significado que ele deu pra história. 💛

SPOILER - Clique para ler

Não, não é que toda a luta levou a nada. É mais uma das coisas realistas de Life (aqui traduza para coisas realista da VIDA). A gente luta diariamente, os problemas não vão embora. É assim desde que nascemos e será até morrermos. A diferença é que podemos ganhar ou perder algumas batalhas, mas a guerra continua, às vezes com pessoas diferentes, ou motivos diferentes.

O fato do Sr. Gu ter saído da administração do hospital sem ter “lutado” para permanecer lá não foi uma perda ou involução do seu personagem. Na minha opinião foi um crescimento pessoal. Pudemos acompanhar diversos sentimentos ocultos dele, os quais claramente não eram de orgulho do que ele estava fazendo. Alguns estavam claros, Sr. Gu estava pendendo pro lado emocional, algumas atitudes que ele teve que tomar, ele odiou. E por isso, sair foi uma das melhores coisas que ele poderia ter feito. Pode ter sido bom pra sua saúde, seu psicológico, seu coração. Afinal, quando ele reencontra a No Eul, ele estava tão leve, tão feliz. Ele parecia saudável e de bem com a vida. Entendi esse momento como aquele que ele ficou pronto para viver diferente. E agora com ela, talvez? ♥

E Jin Woo na rua olhando para o novo CEO, e aquela troca de olhares cheia de tensão. Foi um “Vai começar tudo de novo. Tá vendo aqui? a gente nunca para de lutar por aquilo que acredita”. Jin Woo até deu um sorrisinho, aquele sorriso de quando a gente cai e levanta de novo.

Quem saiu perdendo nessa história? Todos. Quem ganhou? Todos. Pelo menos algum aprendizado eles tiraram de tudo isso.

A cena do Jin Woo com Sun Woo no barco e no mar foi a coisa mais linda. Eu não esperava que teria essa cena já que antes o levou a “aquário artificial”. Fiquei tããão feliz! ♥

[collapse]

 

Para salvar, primeiro nós temos que viver.

 
Gifs por heartou e ryn-s.

 

Onde Assistir?

Tem Life legendado no Kingdom Fansub e na Netflix.

 

 

E vocês que já viram Life, me conta o que acharam? Gostaram do final ou não?

Beijos! Mari. 😘

 

 

3 comentários em “Life – K-Drama

  1. Hello Mari, parece que finamente vimos o mesmo k-drama. Concordo com tudo o que escreveste. Começei a ver o drama porque não tinha nada para ver, os episódios já tinha saído todos e começei a ver sem saber muito sobre o que era. Foi talvez o unico drama/serie sobre medicina sem realmente se tratar de medicina 😛 gostei bastante, já tinha adorado o stranger. Os atores fizeram um excelente trabalho e gostei da parte da evolução das personagens, a primeira vez que alguns personagens apareceram começei a não gostar deles, mas com o tempo começamos a perceber que ninguem tem só defeitos e maldade e começamos a mergulhar no drama.

    Em relação ao final, acho que cumpriu o que o drama propunha, e fez sentido tendo em conta o decorrer da trama.

    Até à próxima review 😛

  2. Mari, como sempre arrasando nas resenhas.
    Eu gostei muito desse drama e concordo com o que você disse. Resumiu muito bem meus sentimentos. Tudo parecia muito real.
    Se tivesse mais episódios eu não iria reclamar.
    A cena quando chega o novo CEO eu logo solteiro um “vai começar tudo de novo!”

    As cenas finais dos irmãos foram lindas. Eles no mar e o JinWoo se despedindo do irmão imaginário. Depois eles no barco. Foram perfeitas, mostrou o carinho e cumplicidade que eles tinham.

    Eu super indico pra quem quiser sair um pouquinho do romance.

  3. Muito boa sua resenha. Concordo que life aborda diversas perspectivas ao inves de focar no bem e mal

    Na verdade meu personagem favorito era o Sr Gu, gostei de ir o conhecendo aos poucos e vendo que na realidade ele só tava fazendo o trabalho dele. O dorama e todo o resto do elenco vivia o pintando como monstro mas eu o considero um dos personagens menos falsos do elenco. Foram poucos os momentos queele sorriu na história, mas eu sempre torcia que ele pudesse ser feliz

    Gostei muito do Jin Wo, só fiquei frustrado que a guerra que ele travou com o Sr Gu por vezes era que nem muita greve universitária. Em outras palavras, ele se revoltava com as coisas e começava a se dar tiro no pé. Jesus do ceu, o homem de Deus era o único que podia ajudar eles e o Jin Wo ficava fazendo os esquema só contra ele

    Enfim, gostei do final, só fiquei com a impressão que série nanetflix sempre gosta de deixar ponta pra outra temporada e isso é por vezes desnecessário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *