Sobre

O blog Love Code publica conteúdos relacionados a entretenimento, música e tecnologia asiática. 

Origem do nome

A origem do nome Love Code vem de dois elementos que sempre fizeram parte da minha vida. Love em português é amor, e Code em português é código. Desde 2007, eu já fazia web design e produzia meus próprios conteúdos, blogs e sites e gostava do que fazia. Mas não para por aí, o nome tem muito mais significados, para mim, códigos (code) relaciona-se aos segredos da vida, é preciso entender como viver, é preciso saber os códigos para ser feliz, e nada melhor do que o amor (love) para isso.

História

A primeira versão do Love Code foi ao ar em 2009, com o objetivo de transformar o que era antes um blog pessoal em um lugar divertido onde coisas interessantes poderiam ser compartilhadas. Na época de lançamento da primeira versão, a internet estava entrando em conflito com o surgimento de um número incrível de blogs, a maioria das pessoas postavam conteúdos sobre sua própria vida. O Love Code surgiu com a intenção de compartilhar o máximo que pudesse sobre um mundo cheio de entretenimento que muitas pessoas não conheciam. As publicações eram sobre dicas de sites e blogs, filmes, livros, músicas, jogos e etc., tudo que pudesse de alguma maneira produzir diversão para os leitores do blog. O Blog ficou parado alguns meses, e quando voltou foi reformulado para produzir conteúdos e dicas sobre entretenimento asiático. (:

A Mari

Prazer, eu sou Mari. 🙂 Como você já deve ter lido no meu perfil ali na barra lateral, eu sou designer e formada em Publicidade e Propaganda, gosto tanto de internet que acabei focando meu trabalho em marketing digital. Ah, os blogs são meus amorzinhos desde muito tempo atrás, eu deveria ter uns 12 anos quando comecei a ler blogs e não os abandono jamais.

Eu sou a louca viciada em séries e doramas mesmo. Adoro fazer maratonas de kdramas, esse é passatempo preferido. Por conta dos doramas, acabei me encantando com a cultura asiática, principalmente a coreana. Gosto de pesquisar sobre a história da Coreia e adoro doramas de época, são ricos em conteúdo interessante, arte e beleza sobre esse belo país.

koreanthings

Como viciei no mundo asiático?
Quando eu ainda estava na escola, minha amiga me apresentou o primeiro dorama da minha vida: Hana Yori Dango, foi lindo demais, fiquei viciada e já colava fotos do F4 no caderno. Até aí, meu estado era normal, só viciei de fato quando assisti Personal Taste, o meu primeiro dorama coreano. Depois dele, não consegui parar, comecei a pesquisar sobre os atores e acabei querendo assistir todos os doramas dos meus favoritos e assim fui conhecendo outros… e hoje estou aqui escrevendo muito sobre doramas e a cultura que me conquistou. Ainda assisto alguns doramas que não são coreanos, como chineses, taiwaneses  e japas! Gosto de todos esses mais ainda tenho preferência pelos kdramas.

Como viciei no Kpop?
Mesmo eu sendo doramei há um tempo, não conseguia gostar de kpop, confesso. Não entendo o motivo até hoje, sei que uma das primeiras músicas que ouvi foi do BIGBANG e eu odiei! Mas depois de um tempo resolvi dar uma chance pro CNBlue, e acabei me apaixonando por eles. Resolvi pesquisar mais músicas e achei vários que acabei me identificando e pra minha surpresa eu estava encantada pelos meninos do BIGBANG. Provei do meu próprio veneno e hoje sou até VIP e Seungri biased. Um tempo depois surgiu o reality da YG pra escolher quem seria o próximo grupo a debutar e lá estava eu já do fandom de WINNER. Eu gosto de quase todos os grupos e não odeio nenhum, de verdade! Atualmente sou tão apaixonada por kpop quanto por kdramas.

 

Visite o meu portfólio 🙂